Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Este feriado, 8 de dezembro, é o dia da padroeira do Reino de Portugal desde 1646. os TSF como bons devotos comemoraram da única maneira que o sabem fazer, circulando.

Esta manhã amena de dezembro permitiu o encontro de alguns Chou-Bikes e outros tantos TSF. Queria-se um passeio relaxante, sem grandes subidas e com horário de chegada agendado para as 12:30.

Caranguejeira é sempre uma boa opção quando o objetivo é pedalar e apreciar as fragâncias da natureza. Para os mais distraídos, que apreciam apenas o efémero e dão importância ao fulgurante odor, passa-lhe ao lado uma carga histórica rica e extensa deste local.

A história da Caranguejeira perde-se nos tempos. Existe prova da presença humana, pelo menos desde o Paleolítico, como o atestam os achados arqueológicos do Vale do Lapedo com mais de 25.000 anos. Só os mouros, por volta do século XII, fizeram com que estas terras ficassem desertas, havendo necessidade de proceder ao seu repovoamento, o que aconteceu com sucesso, atendendo a que a 19 de abril de 2001 foi elevada a vila, a Vila da Caranguejeira.

Continuando o passeio, podemos observar, do alto do Leão, um vale verdejante onde corre a ribeira da Caranguejeira. No meio da mancha verde de pinhal, a perder de vista, que povoa a Serra da Caranguejeira, avistámos a brancura do casario e logo ali o autocarro, sempre estacionado, onde tomámos o aromático café expresso.

Sempre com calma, fomos regressando a Leiria. Vencendo um ou outro declive, chegámos ao planalto. Pelos trilhos, atravessados pelas raízes dos pinheiros, chegámos à Quinta de São Miguel. Ficou o desejo de a atravessar, não fosse o medo do cão e a falta de autorização do proprietário.

Visitámos uns amigos, o Amílcar e esposa, verificámos a qualidade do seu produto e ficámos a saber que é difícil trabalhar enquanto outros se divertem.

Finalmente o Castelo de Leiria. Pela porta dos castelinhos chegámos à sua entrada de armas. Os mais afoitos ultrapassaram-nas e logo se tentaram dirigir à torre de menagem. Tal não é possível! Antigamente, no tempo do Rei D. Dinis, tínhamos que usar as armas, agora são os euros. Podemos conquistar, mas isso tem um preço. Deve ser por isso que está cheio de visitantes leirienses. Pensei que já estava pago. Malditas PPP.

Por fim, soubemos do acidente de um TSF. Fomos à porta do Hospital e desejámos as melhoras rápidas ao companheiro Pedro.

Terminado passeio, ficou a sensação de uma manhã bem passada. Domingo vem já aí.

Rui P

Clicar para ver a fotos

Também em meo Kanal 490904  

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:24

Trilhos Sem Fim no Cabeço da Andorinha

por Trilhos Sem Fim, em 04.12.16

Mais uma vez os TSF's responderam ao desafio e compareceram no Parque Radical à hora habitual. Formámos um belo grupo, animado e bem numeroso, pois para além dos TSF's mais habituais contámos com a agradável presença dos colegas dos Chou-Bikers e de mais uns companheiros do pedal que por vezes alinham connosco.

 

Ninguém teve medo da chuva e fizemos muito bem, pois dela, nem sinal, apenas algum vento mas nada que nos mandasse abaixo. Desconfio que o São Pedro gosta de BTT pois tem-nos brindado com Sábados e tardes de Domingo chuvosas, mas não as manhãs de Domingo. Que assim continue, que nós merecemos!

 

Arrancámos então 18 BTTistas do PR já um pouco depois da hora habitual, pois apesar de ainda não pedalar, já se conversava e convivia muito. Orientados pelo Amílcar subimos junto ao quartel e daí subindo até perto do Perulhal onde acabaríamos por ser 19. Ora como bem sabemos, orientados por um companheiro dos Chou-Bikers, não era de esperar outra coisa se não subir, e assim foi durante os 4Km da subida da Andorinha, que grande subida interminável aquela! Depois de tal subida foi mais que merecido o café e o sonho que degustámos na pastelaria em São Mamede. Por esta altura já o Amílcar e o Rui Santos tinham rumado a Leiria, e uma vez lá no alto, já com todos nós a pensar em descer e em single tracks, fizémos o trilho do Moleiro, a grande descida seguinte e fomos visitar as nascentes do nosso rio, descendo aquele single track do qual não sei o nome, o que tem um gancho bem apertado à direita e que é bem bom de descer, e com a capa de lama que tinha hoje, foi descido como dizem os brasileiros, "com emoção". 

O resto já se adivinha, foi rumar a Leiria com a ideia bem definida de repor energias comendo tremoços e...

 

Conseguimos assim mais uma vez, aliviar o stress semanal e preparar o corpo e mente para mais uma semana de trabalho, que venha ela, novamente mais pequena para alguns, pois quinta feira voltamos a ter oportunidade de pedalar, de MANHÃ, e talvez se conquiste algum castelo!

 

Boa semana,

 

Cláudio Costa

Clicar para ver fotos

Também em meo Kanal 490904 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:44

Ao domingo pedala-se, faça chuva ou faça sol.

por Trilhos Sem Fim, em 03.12.16

Amanhã parece estar bom tempo para estar com os amigos TSF, ou seja, para andar de bicicleta.

Vamos ter chuva e vento que baste, já não precisamos de levar de casa, porreiro, vamos mais leves :)

 

Seremos prudentes e vamos tentar não cair, e os GPS do grupo que comecem a pensar em percursos sem muita lama nem muito vento! Hehehe.

 

Até amanhã, às 8h35 no PR.

CC

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:32

Trilhos Sem Fim festejam o Dia da Restauração

por Trilhos Sem Fim, em 01.12.16

No primeiro dia do mês de dezembro do ano de dois mil e dezasseis, da nova era, pelas oito horas e trintas minutos deu-se inicio, com muita pompa e circunstância, às comemorações do Dia da Restauração. O grupo “Trilhos Sem Fim” tem inserido estas comemorações no seu plano anual de atividades, apenas interrompendo esse alinhamento após a tomada de posse do XIX Governo Constitucional, voltando agora às comemorações formais com a reposição do feriado. Recorde-se que o Dia da Restauração pretende recordar a situação ocorrida em 1 de dezembro de 1640 que consistiu na revolta dos portugueses contra a tentativa da anulação da independência do Reino de Portugal pela governação da Dinastia filipina castelhana, e que vem a culminar com a instauração da 4.ª Dinastia Portuguesa - a casa de Bragança - com a aclamação de D. João IV.

Claro que todos os TSF são patriotas e não perdem uma comemoração, praticando a atividade principal e única (core) dos seus estatutos, o BTT.

Assim foi, dia de festa e de integração de novos trilheiros, Dario e José M, tinha que dar em subida. A Maunça fica sempre bem. Por trilhos pouco utilizados, mas sempre agradáveis, passámos o Vidigal, Cortes e Fontes do Lis. Já a meio da encosta da Maunça alguém sugeriu que Fátima seria um bom local para comemorar, apesar do milagre do sol e dos pastorinhos só ter acontecido 277 anos após o Dia da Restauração. Rumámos lá.

Entretido com muita conversa, ora falando, ora ouvindo, quase não recordo por onde passei, dou por mim a degustar um pastel em forma de coração acompanhado por um aromático café. Que bom!

Aí surge o desafio, teríamos que participar num mannequin challenge, ou seja, fazer figura de parvo, mas parado. Admirados? Percebo, os TSF fazem essa figura muitas vezes, mas é a andar de bike, daí a novidade. Aceitámos!

Enquanto a equipa de reportagem fazia os preparativos visitámos os Valinhos e Aljustrel, tirámos uma foto tendo como fundo a parede de pedra tornada famosa pelos 3 pastorinhos e ainda conhecemos a sobrinha dos ditos pastores, que parece também tem queda para a foto, pois foi ela a operadora da câmara que tirou a única foto deste passeio. Maldito sjas repórter oficial dos TSF que nos abandonaste.

Desafio do mannequin challenge cumprido fomos agraciados com novo pastel. Toma lá!

Com tanta atividade para uma manhã, o tempo começava a escassear, mas ainda tivemos oportunidade de descer o “trilho do tiro ao 1berto”, perto da Chainça. Muito bom mesmo.

Agora é que é mesmo tarde. Deixei os TSF para traz, mas não foi fácil pois ainda tentaram uma aproximação a corta-mato. Já no final desci o trilho do Rogério que, após uma intervenção de alguém que não gosta de nos ver com arranhões, parece uma autoestrada. Foi muito bom.

Para a próxima semana 8 de dezembro é o 342.º dia do ano no calendário gregoriano (343.º em anos bissextos) e faltam 23 para acabar o ano, mas é feriado. É o dia da Imaculada Conceição. Se concordarem festejaremos.

Entretanto, até domingo

Rui P

tsffatima.jpg

Post scriptum: No post da última semana (AQUI) utilizei a expressão “Langões preguiçosos e moles” (LPM), muito utilizada no léxico interno dos TSF. Claro que no léxico externo pode dar lugar a outras interpretações e até ferir alguma suscetibilidade. Não era essa a nossa intenção. Digo até, que não é LPM quem quer. Para o ser, deve possuir um forte grau de afiliação com a causa, ter pernas potentes e criado laços de amizade e cumplicidade com este excelente grupo de amigos.

Contudo, para traquilizar os espiritos sugiro que, onde leram “Langões preguiçosos e moles”, traduzam para “Meu querido companheiro que estás ausente”

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:47

Trilhos Sem Fim na Pia do Urso e uma manhã de sol

por Trilhos Sem Fim, em 27.11.16

Depois de uma semana de chuva, esta manhã de domingo prometia ser diferente, com sol e algum calor. Os mais prudentes compareceram à hora marcada no tradicional ponto de encontro, bem agasalhados, com luvas de inverno, casacos quentes e calças compridas. Claro, há sempre uma exceção.

De início eramos quatro - Artur, Cardinhos, Rogério e Rui P - mas perto do Vidigal fomos informados que o casal maravilha, Leonel e Paula, estava no nosso encalce.

Escolhemos trilhos menos lamacentos e pedalando relaxadamente, que isto de bbtar também serve esse fim, chegámos às Fontes. Fomos parando, ora aqui, ora acolá, na expetativa que o tal casal aparecesse, mas goradas foram essas expetativas.

Chegados à Torrinhas, nova paragem, agora para aproveitar o sol que teimava em passar entre as nuvens ainda carregadas. Do casal, nada. Talvez na pedreira do Reguengo aconteça a junção, sussurrou alguém.

Conversando sobre os trilheiros, que trocaram uma manhã de btt e cederam ao calor da cama, ao pequeno almoço em pijama ou ao sono até ao meio dia, sem ver uma poça ou mesmo lama, seus Langões Preguiçosos e Moles*, diria que nem sabem o que perderam.

Chegados ao Reguengo, passámos dentro da povoação, subimos a calçada e já perto do largo do cruzeiro fizemos novo compasso de espera pela dupla. Nada!

Subimos a rampa da pedreira e já na praça decidimos que esperar era na Pia do Urso, após um café e pastel de nata, com um jornal na mão. Assim foi.

Por trilhos conhecidos chegámos ao destino e eis que surge a parelha. Agora eramos seis!

De regresso aproveitamos os tilhos de pedra a sul da Pia, que apesar de húmidos e escorregadios, nos proporcionaram um belo percurso.Não fosse aquela dor subita na coxa do companheiro Rogério, teria sido uma manhã perfeita. Mas a massagem e umas palvras de conforto foram o suficiente para uma recuperação quase total, pois que essa só foi possivel na 3ª parte.

Desta vez o cheiro a rosmaninho, a urze e a erva brava, que brindou o verão, foi substituído pela fragância a terra molhada e ao de alguma cachopa que passou. Bem bom!

Mais uma bela e tranquila manhã de BTT, com excelente companhia.

Rui P

Clicar para ver fotos

 

* Post scriptum: Utilizei a expressão “Langões preguiçosos e moles” (LPM), muito utilizada no léxico interno dos TSF. Claro que no léxico externo pode dar lugar a outras interpretações e até ferir alguma suscetibilidade. Não era essa a nossa intenção. Digo até, que não é LPM quem quer. Para o ser, deve possuir um forte grau de afiliação com a causa, ter pernas potentes e criado laços de amizade e cumplicidade com este excelente grupo de amigos.

Contudo, para traquilizar os espiritos sugiro que, onde leram “Langões preguiçosos e moles”, traduzam para “Meu querido companheiro que estás ausente”

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:51


Sobre nós

Neste blog um grupo de amigos irão falar das suas vivências tendo como fundo uns passeios de bicicleta. À conquista da natureza, ganhando saúde.

MEO Kanal



Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D


Visitantes

Site Meter

Os meus visitantes