Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




O mau tempo de Sábado quase pôs em causa o nosso habitual passeio de Domingo dia 28/2/2010.
Hoje saí tarde da cama. Quando cheguei ao Parque Radical já o grupo tinha partido. entretanto chegou o Nuno. Com as indicações do companheiro Artur, que voltou atrás quando nos viu, partimos em perseguição do grupo.
O Rio Lis ali ao lado quase não cabia no leito. As quedas de água junto ao  Museu do Moinho de Papel estavam com uma pujança impar. A beleza rude, ameaçadora, mas impar, que a natureza nos oferece.
Pedalámos fortemente porque sabíamos que poderíamos encontrar o grupo. Passámos o parque da cidade, subimos em direcção aos Marinheiros, virámos para a Mata dos Marrazes e ... lá estavam eles, os Trilhos Sem Fim.
Vamos completar rapidamente o percurso, disse.
Eu já fiz este percurso tantas vezes. Ainda há alguma coisa nova? Desta vez havia.
O vento forte e a chuva intensa inundaram os nossos trilhos e as árvores derrubadas tornaram mais difícil fazer a Rota dos Odores dentro do tempo esperado. Com esforço fomos vencendo cada metro.
Chegados à Boavista descemos o carreiro que nos leva ao parque de merendas. Acompanhámos a auto-estrada até Santa Eufémia e descemos velozmente.
Esperava-nos o Casal da Ladeira. Passamos por várias ladeiras, mas nenhuma delas deu o nome à povoação. Esta deu! Realmente é uma grande ladeira.
Um a um cada trilheiro tomou o rumo de casa. Primeiro o Nuno, depois o Rui G, o Pedro, a Paula e o Leonel.
O Grazina desceu comigo aquele pequeno, mas adrenalizante carreiro junto aos depósitos de água e finalmente dirigiu-se ao Parque Radical, onde terminou o passeio.
Foi uma manhã óptima, sem chuva, com lama quanto baste e muita conversa, como convém.
Domingo haverá mais. Até lá!

Rui 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:20

Dia 21/2/2010 Lá fomos nós ....

por Trilhos Sem Fim, em 18.02.10

Apesar das trágicas noticias de Sábado à tarde, relativas ao temporal na Madeira, o grupo não se deixou intimidar e às 9h00 lá estavam 9 trilheiros, amantes do BTT, da natureza e desejosos de passar mais uma manhã em boa companhia e a manter a boa forma física. Na realidade partimos 10, pois juntou-se a nós um BTTista que ao que parece foi abandonado pelos colegas, certamente menos corajosos que nós!

Como não podia deixar de ser, lá partimos seguindo a orientação do nosso fiel El GPS, que apesar do mau tempo, e para fazer justiça à boa prestação que tem tido, teve sempre boa recepção (desde aquela ida à Pia do Urso, que deve ter uma antena nova!), rumo a Curvachia, trepando por aqueles cacos de tijolo, com o intuito de fugir à lama, lá fomos subindo, atravessando a mata da Curvachia, que infelizmente está a sofrer de mais uma intervenção humana, relacionada com os aceiros para a linha de muito alta tensão que por lá irá passar. Mas continuando a pedalar, lá fomos subindo até finalmente chegarmos à descida que nos leva até antes das bombas de gasolina do Soutocico, mas antes que pudéssemos gozar a nossa primeira descida do dia, eis que não nos livrámos de uma pequena enxurrada, que serviu apenas para dar razão aqueles que antes, gozaram com os que tinham tirado os oleados, pois o aguaceiro não durou mais que uns minutos.


Já no estradão que nos leva até ao Arrabal e depois de passarmos pelas obras da nova rotunda que estão a construir junto à Tosel, rotunda essa para a qual, e na qualidade de morador daquela terra, ainda não encontrei justificação para o seu aparecimento, mas como ia dizendo, já no estradão e como a bicicleta do El GPS estava a precisar de ar, lá se arranjou a desculpa de ir até à casa, onde por vezes se consegue beber café, para encher a roda com o compressor. E então não é que para além de encher a roda, ouve mesmo café desta vez, sem faltar nenhum ingrediente (tenho esperança que desta vez se esqueçam do outro episódio :-) ).


Seguimos com cuidado pelas lajes que formam os caminhos que ladeiam o cemitério do Arrabal, em direcção a Santa Catarina da Serra, atravessando a estrada do Freixial para o Vale Maior. Uma vez chegados a Santa Catarina, virámos à esquerda, para podermos gozar de uns belos trilhos a descer que nos levaram até aos Cardosos, passando com equilíbrio pela margem daquele ribeiro, e eis que o problema técnico da roda do El GPS voltou a obrigar o grupo a parar (falta o Artur..., tinha-se arranjado o pneu logo da primeira vez), com câmara de ar nova, foi rolar até Leiria, que com estas interrupções todas e percorridos os habituais 30Km, já se fazia tarde para o almoço.

Quem da chuva teve medo, perdeu uma boa manhã de BTT, porque o São Pedro ajudou e só choveu de tarde.

Sobre a linha de muito alta tensão, que estão a construir sobre a Curvachia, deixo aqui algumas informações para quem ainda não está a par. Trata-se de uma linha de muito alta tensão, 400kV, que liga Batalha (Celeiro) a Lavos (ver mapa) e que tráz para as populações alguma preocupação pelos eventuais riscos para a saúde pública, resultantes da exposição aos campos electromagnéticos gerados pelas linhas, riscos esses que apesar de não provados cientificamente, também não são de todo rejeitados pela comunidade cientifica (ver 20 perguntas frequentes sobre linhas de alta tensão e saúde pública (IST), e
Perguntas & Respostas sobre transporte de energia (REN). Por estas dúvidas e respeitando o principio da precaução, o traçado da linha "contorna" algumas povoações como o Calvário e Famalicão. Esta linha destaca-se das habituais, pela sua elevada tensão 400KV, obrigando à utilização de torres mais altas.
Esta nova linha denominada "Linha Batalha-Lavos 400kV", está em parte relacionada com os recentes investimentos efectuados quer pela EDP quer pelas celuloses da Figueira da Foz, as quais têm aumentado significativamente a sua capacidade de geração de energia eléctrica, através das novas caldeiras, obrigando a REN a reforçar as capacidades da rede de distribuição nacional. Nomeadamente as novas caldeiras da CELBI de 30MW e de 70MW, esta ainda em instalação, e a nova caldeira de 70MW da Soporcel, também em instalação. Para além destas a EDP concluiu o ano passado em Lares, uma central de ciclo combinado a gás natural de 862MW, e julgo estar também prevista a construção de uma outra central, também de ciclo combinado, mas da Iberdrola.


Boa semana de trabalho e até Domingo!

Cláudio Costa

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:17

Os 4 magnificos foram ao Lapedo

por Trilhos Sem Fim, em 16.02.10

Pois é malta,...hoje fomos os 4 fantasticos, só,...mas tudo bem, fizemos uma voltinha muito fixe, ... não,...não fomos á Pia do Urso,.... fomos até ao Lapedo, começámos por subir pela curvachia naquela cascalheira de tijolo, mesmo para ganhar apetite, passámos o Soutocico e voltamos a descer em direcção aos Cardosos, subimos uma perede em alcatrão junto á A8, (acho que deixei lá um pulmão), e parámos no miradouro para tirar umas fotos, afinal fomos poucos mas bons,....umas trincas na bucha para recuperar a energia e lá fomos rumo ao Lapedo. Sempre num ritmo interessante, e principalmente com um tempo espectacular,...nem chuva, nem frio,...muito bom. Foram 38 kms que terminaram com o famoso single track no Casal dos Matos, o tal que tem a piscina do lado direito,..."qual piscina?não vi nada,..:))", (estavamos para ir pedir almoço ao Rui, mas ...estavamos com alguma lama e ainda faziamos inveja a alguem) . Para a semana lá estaremos.

Leonel

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:13

Domingo!!! Dia 14/2/2010 vamos pedalar

por Trilhos Sem Fim, em 10.02.10

Dia 14/2/2010, é aquele dia perfeito, feito à medida, para uns passeios pelo campo, mesmo antes do Carnaval.

Saída às 9H00M do Parque Radical de São Romão, junto ao IMTT.

Rui

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:00

Passeio pela Curvachia até ao Freixial a 7-2-2010

por Trilhos Sem Fim, em 07.02.10

Como éra esperado, este Domingo, para aqueles que saíram da caminha e se juntaram aos amigos dos Trilhos Sem Fim, tiveram certamente uma excelente manhã.

 

Depois de alguma conversa, ainda no parque radical, em que o tema principal foi tentar esclarecer a dúvida se o grupo do El GPS na semana passada tinha apanhado boleia de uma Toyota Dina, ou de um trator, acabámos por ficar quase convencidos que foram mesmo por uns atalhos, ficou a promessa dele nos levar a todos à Pia do Urso, por esses famosos trilhos.

 

Como anunciado, o nosso guia, foi o amigo El GPS, que ainda eufórico pelo sucesso do passado Domingo, e naquela ânsia de descobrir novamente o trilho secreto, nos pôs a todos a subir, subir, subir, se não têm sido os 3 furos e outras paragens forçadas, até ficávamos com saudades do nosso amigo FC.

 

Arrancámos 17 BBTistas em direcção à catedral dos trilhos, e assim que passámos o caminho que nos leva à entrada da Curvachia, e para fugir à lama, virámos à direita para enfrentar aquela enorme subida, serviu para aquecer..., descemos a Curvachia e fomos até à entrada do bonito bosque de carvalhos, onde ficámos um tempo a contemplar a lagoa de lama que teríamos de atravessar, enquanto esperávamos pelo resto do grupo. Após termos visto as moto4 que com alguma dificuldade passaram a dita lagoa, decidimos por unanimidade fazer um desvio, e fomos por aquele maravilhoso trilho, que habitualmente fazemos em sentido contrário, no final da descida das galinhas. Continuámos em direcção ao Vale de Santa Margarida, subimos, atravessámos a estrada do Arrabal para o Vale de Sta Margarida e descemos até ao Freixial, para novamente subir até ao Cemitério do Arrabal e de novo até ao Freixial, onde nos esperavam dois furos. Depois dos problemas técnicos resolvidos (Artur, volta depressa, que fazes falta!) subimos até chegar quase a Santa Catarina (com mais um furo), como a hora estava tardia, e as famílias esperavam para almoçar, regressámos a Leiria novamente pela mata da Curvachia, não sem antes fazer o single track dos Cardosos. Como éra de esperar, o caminho de regresso que ladeia o ribeiro da Curvachia, estava impróprio para a prática do BTT, pelo que sem alternativa lá subimos novamente a Curvachia, para depois descer e rolar até Leiria, onde já chegámos depois as 13h.

 

Foi de facto uma excelente manhã e com muita pedalada. Hoje éramos 17, chegámos em grupo apenas 16, por opção do novo colega, que decerto não confiando no El GPS, que hoje tinha o altímetro avariado, fez uma volta ao seu próprio ritmo, espero que tenha chegado bem. A maioria de nós ia trajado a rigor, com as bonitas camisolas vestidas, é de facto um bom grupo!

 

Fiquem bem e tenham uma boa semana de trabalho.

 

Cláudio Costa

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:35


Sobre nós

Neste blog um grupo de amigos irão falar das suas vivências tendo como fundo uns passeios de bicicleta. À conquista da natureza, ganhando saúde.

MEO Kanal


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D


Visitantes = 160.000 +...