Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




VISTA AÉREA AQUI

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 18:23

Trilhos Sem Fim - passeio de Mira de Aire

por Trilhos Sem Fim, em 18.05.14

Meia dúzia de TSF's (com o setimo de Malaqueijo) deslocaram-se hoje ao passeio de Mira de Aire.
Como estivemos hoje em duas frentes e o orçamento destinado as crónicas e de um máximo de duzentas palavras significa que só temos cem para esta e estou sem palavras para descrever o que hoje vivemos que foi tanto por tão pouco. Lembro que a inscrição era de três euros sendo que um euro por cada participante foi destinado aos bombeiros que foram parte fundamental na organização e sinalização de todo o evento. E os singles com que fomos brindados são de primeira linha.
O Pedro estava certo quanto nos tentava transmitir quão interessante haveria de ser o passeio. E foi!
"Comeu-se" pedra até já dizer chega e, apesar de alguma ser algo indigesta, a maioria dela foi muito, mas mesmo muito, gostosa.
Fomos acompanhados na maior parte do percurso por vários companheiros dos Choubikers que confirmaram, uma vez mais, a sua vocacão e, até, qualidades para acompanharem com osTSF's.
No final do magnífico passeio fomos obsequiados com morcela da região previamente cozida pela mae do Pedro, chouriça dos Chou e cerveja de litro do aldi que, fresquinha, marchou que nem ginjas!
Quinta feira há mais e domingo também, mas de novo em duas frentes: Leiria e Tabua!
Alipio Lopes

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:02

Bar da Cristina e do Daniel

por Trilhos Sem Fim, em 12.05.14

Agradeço aos interessados confirmação por mail até 25 de maio de 2014

Cristina

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:12

Trilhos Sem Fim na Amazónia da Maceira

por Trilhos Sem Fim, em 11.05.14
A onze, do mês mariano, as oito e trinta e seis, saíram doze do PR onde só regressaram cerca das doze e trinta.
Foi dia de Amazonia, Maceirinha e Santa Clara e, como e apanagio deste grupo maravilha, houve café (nos bombeiros voluntários da Maceira), local onde foi efectuado o carregamento de um "queijo" de cálcio negro de cerca de um quilo no equipamento de transporte que o Artur estreou para levar a Santiago de Compostela e cujas imagens de descarga no destino podem ser vistas no filme oficial do nosso blogue.
Durante quase todo o percurso tratou o Artur de bradar aos céus por o Rogerio por não cuidar de preparar a peregrinação em autonomia a Santiago no próximo mês e nem sequer carregar "queijos" de cálcio na mochila.
Houve quedas sem consequências - graças aos deuses do btt -, do Helder Trambolheiro (desculpem, Malheiro) e do paraquedista-mor José Cardinhos.
Foram abordados os estatutos, cuja publicação continua adiada, e, também, a encomenda dos novos equipamentos. Ficou determinado que, no futuro, quem pedalar mais que uma vez sem os mesmos na nossa companhia terá que submeter-se a uma penalização pecuniaria a definir mas nunca inferior a um euro.
Na próxima nocturna de quinta e também! no próximo domingo iremos poder desfrutar de bolo de aniversário, que esta gente também envelhece. Mas muito, muito,  mais devagar...
Alipio Lopes
Também em meo Kanal 490904

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:57

Trilhos Sem Fim em Estremoz.

por Trilhos Sem Fim, em 05.05.14

Sete foi o número de TSF's que foram de Leiria a Estremoz para o assalto a Serra da Ossa. 5 para os 50 e 2 para os 100. O número de participantes foi de cerca de 1500.

Chegámos na noite de sábado com uma temperatura e humidade que faziam prever uma manhã de domingo muito longe da frescura.

Os clãs do Pedro Santos e do José Cardinhos já lá estavam desde o feriado, o Rui G, o Artur D, o Alipio L e o Nuno C foram na tarde de sábado no laranjinha, a tempo de lauto jantar em casa da Francisca e do Florêncio e o Luís C juntou-se a nós na manhã de domingo, um pouco antes da partida que ocorreu às nove e trinta e cinco.

Os que iam para os 100 queriam ter a oportunidade de "ajudar" o nosso companheiro Endivas na sua aventura nas lides da competição em XCM. Dos três, só o Nuno terminou a prova (e que prova e que empeno!) após mais de seis horas montado (e outras vezes nem por isso...). Os outros foram ambos traídos pelos joelhos.

Todos os que se propuseram vencer os 50 terminaram a prova com mais ou menos galhardia. O Pedro terminou cerca das treze; o Zé e o Rui logo de seguida; o Artur um pouco após as 13.30 e o último de nós antes das 14.00.

A todos estes tempos há a descontar as percas de tempo por solidariedade. O Artur conseguiu com a sua sapiência habitual e o seu mega alicate salvar a corrente do Zé que ficou torcida de tal forma que o teria impedido de terminar quando ao km 18 bateu com o pedal numa pedra e a dita saltou e se torceu. Mais adiante, o Rui, qual bom samaritano, cedeu o único elo rápido que tinha para um companheiro de aventura que nunca havia conhecido antes. Os deuses das bicicletas e da aventura abençoaram-no a ele e a todos nós com um resto de prova onde já só (? !) foram necessárias as pernas e uma boa dose de "querer" para terminar. Não deve deixar-se passar em claro o empurrão, trilho acima, que o Artur deu a um companheiro que, só com uma perna, revelava dificuldades acrescidas numa das paredes que vencemos.

Dizia o Rui, no final desta enorme festa e coça, que há cinquentas e cinquentas e uns muito mais duros que outros. Estes cinquenta (que em boa verdade foram cinquenta e cinco) foram particularmente duros, belos e perfumados. Deslumbrantes paisagens, magníficas flores com os seus característicos odores foram companhia permanente nesta manhã de desafio e aventura.

A organização foi muito boa e apurada (mais ainda se lembrarmos que era só a terceira edição da prova) e preparou-nos vários troços em singles absolutamente maravilhosos. E, melhor, nalgumas destas zonas não bastava descer e controlar a burra: era preciso dar muito ao chinelo!

Pouco depois de o Alípio ter chegado à meta (e recebido uma gostosa medalha de cortiça) chegou o vencedor dos cem kms... Uff. Safou-se o último de nós e por um triz da dobradinha!

Com a recepção vip da família do Zé Cardinhos, uma prova dura mas próximo da perfeição, e a camaradagem deste magnífico fim-de-semana podemos dizer que não há palavras suficientes para o relatar. Daí a razão de não haver lápis azul porque todos reconheceram que descrevê-lo com cento e cinquenta palavras seria impossível! Seria de facto.

Melhor prova disso é que todos disseram querer voltar para o ano. Mas, nessa ocasião, haveremos de levar mais elos rápidos e pelo menos dois tipos de correntes suplentes...

Alípio C.Lopes

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:47


Sobre nós

Neste blog um grupo de amigos irão falar das suas vivências tendo como fundo uns passeios de bicicleta. À conquista da natureza, ganhando saúde.

MEO Kanal


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D


Visitantes = 160.000 + ...


Os meus visitantes