Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Muito bom!

Com algum atraso, facto que considero aceitável para quem realiza o 1º evento, o grupo iniciou a marcha rumo ao cume da Maunça. Serpenteando pelas ruelas das Fontes, íamos cumprimentando os muitos apoiantes que nos desejavam uma volta segura.

Deixámos para trás as Fontes e embrenhámo-nos no pequeno bosque de carvalhos, com uns trilhos estreitos, que já conhecíamos. Sempre com os elementos da organização as refrear os ímpetos dos mais velozes, chegámos ao carreiro empedrado, com pedra solta e escorregadia, que dá acesso ao caminho que nos deveria levar ao Pé da Serra. Digo deveria, porque antes do inicio da tal subida íngreme virámos à direita e demos inicio à "escalada" do caminho de pedra muito solta, que quase nos levou à exaustão. Não desistimos porque sabíamos que mais acima estavam à nossa espera as simpáticas assistentes e o desejado reforço.  

No cume da serra apreciámos a vista sobre a cidade de Leiria, enquanto íamos saboreando o repasto e trocávamos meia dúzia de palavras com os outros companheiros.  

Mais subidas era impossível, dizia alguém. Claro, estávamos junto ao marco geodésico, o ponto mais alto.

Descemos, descemos e voltámos a descer, mas para espanto de alguns, ainda nos deparámos com mais outra subida. E que subida! Nestas andanças do btt. a regra de que após uma descida há sempre uma grande subida, voltou a confirmar-se.

Pedalada após pedalada fomos vencendo a subida e finalmente chegámos ao Pé da Serra. Daí era sempre a descer, encosta abaixo até à Nascente do Lis. Mesmo depois ter feito esse percurso dezenas de vezes, ainda me conseguiram surpreender com um pequeno trilho, técnico quanto baste, antes de chegar à povoação das Fontes.

Finalmente a nascente do Lis e a travessia por onde, há umas semanas, a água brotava. Agora apenas as pedras muito pontiagudas iam derrubando um ou outro bttista menos atento.

De regresso a casa ainda tivemos a oportunidade de contemplar o leito do Rio Lis com as suas águas ainda cristalinas.

Parabéns à ACRNLis pela organização. No próximo ano contem connosco.

Rui 

 

Post Scriptum: Ao pessoal do grupo "Trilhos Sem Fim" uma palavra de apreço pela excelente e numerosa participação, apesar de alguém se ter atirado ao chão, só para não pagar o café. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:10


Sobre nós

Neste blog um grupo de amigos irão falar das suas vivências tendo como fundo uns passeios de bicicleta. À conquista da natureza, ganhando saúde.

MEO Kanal


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Posts mais comentados


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D


Visitantes = 160.000 +...