Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Trilhos Sem Fim e a chuva de março

por Trilhos Sem Fim, em 05.03.17

Volta do Alzheimer (AF) e de anedotas à moda antiga

Com chuva durante quase toda a manhã, mas chuva miudinha, saímos do PR à hora oficial de domingo: 8:35. Às 8:33 barafustava o AF que era tarde, e oh ALIPIO, despacha-te! Nem mesmo depois de perceber que a hora de partida ainda estava a uma distância de dois minutos ficou calmo. Foi preciso lembrar-lhe a minha pós-graduação em Oxford que me deixou esta marca de pontualidade britânica até aos dias de hoje.

Ainda não havíamos chegado ao Vidigal quando o AF (que me acompanhava na cauda do grupo de seis) desatou a relatar a aventura vivida pelos quatro da vida airada na terça de carnaval. Como eu tinha feito parte desse restrito e privilegiado grupo perguntei-lhe quem foram os felizardos. Respondeu-me que tinha sido ele, o RG e o RP, juntamente com o JC que não fez parte do grupo. Acelerei o passo e chamei a atenção dos restantes para lhes contar o episódio e só quando há estava a anunciar o lapso ele percebeu o erro que tinha acabado de cometer. Escusado será dizer que foi um fartote de riso que foi mote da primeira parte da fantástica e húmida manhã.

Adiante, ouvimos o relato do RG que achou o segundo baraço de corda náutica e que, segundo ele que não costuma exagerar, tem metade do comprimento da primeira mas o dobro da secção! Como a referida corda tinha arribado à Praia e seria proveniente de um qualquer navio esclareci que, por isso mesmo, não deveria ser chamada de corda mas sim de cabo. Atónitos que ficaram todos – sempre a pedalar, claro! – expliquei que na Marinha só existem três tipos de cordas: a corda do relógio, a corda do sino e (a)corda que se faz tarde... a malta gostou. Daí até à anedota do manicômio em que um novato não percebe porque todos se riem a bandeiras despregadas dos números que iam sendo ditos (os velhinhos tinham decidido numerar as 5 anedotas de cada um  dos habituais 10 participantes) e quando chegou a sua vez e disse 69 todos se entreolharam... ao que terá respondido que tinha avisado não ter muito jeito para contar anedotas. E não tinha de facto.

Mas ainda vieram mais duas em passo estugado. A do ébrio que chamava putas a uns e pandeleiros a outros, mandou os primeiros para a frente e os segundos para trás e quando após uma  violenta travagem o chofer o incita a repetir o que tinha dito ele respondeu: Agora separe-os você que com a travagem misturou-se tudo. É claro que ser o RG com o seu inegável jeito a contar isto ao vivo e a cores tem mais encanto. Como encantadora foi a última do caixeiro-viajante que se deslocava de comboio e passava,  sozinho, as viagens a rir a bandeiras despregadas. Numa dada ocasião uma velhinha (nestas ocasiões  é sempre uma velhinha com ar respeitável que aparece) pergunta-lhe porque Diabo se ria tanto. Respondeu que para passar o tempo contava anedotas a si próprio. A velhinha o insistiu (as velhinhas são levadas da breca!) e perguntou porque tinha rido ainda mais a dada altura. Resposta: tinha sido a anedota que ainda não sabia...

Café na Torre, reunião com o departamento de Leiria dos Choubike, composto pelo MéRui e o Amilcar Jacinto algures nas Cortes e antes da CA para nos fazerem companhia e ficarem a saber que na descida do poste de alta tensão o AL (eu...) escolheu o lado errado e de argila clara e fez um verdadeiro peão com assentamento.

Pela primeira vez em mil anos a crónica é produzida e concluída às quinze horas e uma mulher continua sem escrever mesmo com duas oportunidades nos últimos trinta dias...

Na última crónica tivemos treze comentários que não incluíam o do RM e agora quero quatorze senão na próxima escrevo uma crónica igual à das duas últimas da PP. Vocês sabem que sou capaz disso... de descer rapido às vezes é que não!

 Alípio Lopes

20170305 chuva miudinha

Também em meo Kanal 490904

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:49


9 comentários

Sem imagem de perfil

De Artur Fernandes a 05.03.2017 às 22:52

As fotos só não estão melhor pela humidade...
Sim estava mesmo húmido até se vê no filme...
Quanto ao relator mais sucinto não podia ser até nas anedotas...
Vais ter que continuar AL...
Os que não apareceram perderam a chuva e o resto que só estando é que se vive...

Comentar post



Sobre nós

Neste blog um grupo de amigos irão falar das suas vivências tendo como fundo uns passeios de bicicleta. À conquista da natureza, ganhando saúde.

MEO Kanal



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D


Visitantes

Site Meter

Os meus visitantes