Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Trilhos Sem Fim e a chuva de março

por Trilhos Sem Fim, em 05.03.17

Volta do Alzheimer (AF) e de anedotas à moda antiga

Com chuva durante quase toda a manhã, mas chuva miudinha, saímos do PR à hora oficial de domingo: 8:35. Às 8:33 barafustava o AF que era tarde, e oh ALIPIO, despacha-te! Nem mesmo depois de perceber que a hora de partida ainda estava a uma distância de dois minutos ficou calmo. Foi preciso lembrar-lhe a minha pós-graduação em Oxford que me deixou esta marca de pontualidade britânica até aos dias de hoje.

Ainda não havíamos chegado ao Vidigal quando o AF (que me acompanhava na cauda do grupo de seis) desatou a relatar a aventura vivida pelos quatro da vida airada na terça de carnaval. Como eu tinha feito parte desse restrito e privilegiado grupo perguntei-lhe quem foram os felizardos. Respondeu-me que tinha sido ele, o RG e o RP, juntamente com o JC que não fez parte do grupo. Acelerei o passo e chamei a atenção dos restantes para lhes contar o episódio e só quando há estava a anunciar o lapso ele percebeu o erro que tinha acabado de cometer. Escusado será dizer que foi um fartote de riso que foi mote da primeira parte da fantástica e húmida manhã.

Adiante, ouvimos o relato do RG que achou o segundo baraço de corda náutica e que, segundo ele que não costuma exagerar, tem metade do comprimento da primeira mas o dobro da secção! Como a referida corda tinha arribado à Praia e seria proveniente de um qualquer navio esclareci que, por isso mesmo, não deveria ser chamada de corda mas sim de cabo. Atónitos que ficaram todos – sempre a pedalar, claro! – expliquei que na Marinha só existem três tipos de cordas: a corda do relógio, a corda do sino e (a)corda que se faz tarde... a malta gostou. Daí até à anedota do manicômio em que um novato não percebe porque todos se riem a bandeiras despregadas dos números que iam sendo ditos (os velhinhos tinham decidido numerar as 5 anedotas de cada um  dos habituais 10 participantes) e quando chegou a sua vez e disse 69 todos se entreolharam... ao que terá respondido que tinha avisado não ter muito jeito para contar anedotas. E não tinha de facto.

Mas ainda vieram mais duas em passo estugado. A do ébrio que chamava putas a uns e pandeleiros a outros, mandou os primeiros para a frente e os segundos para trás e quando após uma  violenta travagem o chofer o incita a repetir o que tinha dito ele respondeu: Agora separe-os você que com a travagem misturou-se tudo. É claro que ser o RG com o seu inegável jeito a contar isto ao vivo e a cores tem mais encanto. Como encantadora foi a última do caixeiro-viajante que se deslocava de comboio e passava,  sozinho, as viagens a rir a bandeiras despregadas. Numa dada ocasião uma velhinha (nestas ocasiões  é sempre uma velhinha com ar respeitável que aparece) pergunta-lhe porque Diabo se ria tanto. Respondeu que para passar o tempo contava anedotas a si próprio. A velhinha o insistiu (as velhinhas são levadas da breca!) e perguntou porque tinha rido ainda mais a dada altura. Resposta: tinha sido a anedota que ainda não sabia...

Café na Torre, reunião com o departamento de Leiria dos Choubike, composto pelo MéRui e o Amilcar Jacinto algures nas Cortes e antes da CA para nos fazerem companhia e ficarem a saber que na descida do poste de alta tensão o AL (eu...) escolheu o lado errado e de argila clara e fez um verdadeiro peão com assentamento.

Pela primeira vez em mil anos a crónica é produzida e concluída às quinze horas e uma mulher continua sem escrever mesmo com duas oportunidades nos últimos trinta dias...

Na última crónica tivemos treze comentários que não incluíam o do RM e agora quero quatorze senão na próxima escrevo uma crónica igual à das duas últimas da PP. Vocês sabem que sou capaz disso... de descer rapido às vezes é que não!

 Alípio Lopes

20170305 chuva miudinha

Também em meo Kanal 490904

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:49


9 comentários

Sem imagem de perfil

De RUI P a 06.03.2017 às 10:24

Uma bela manhã de BTT, com alguma adrenalina, pois o que dá gosto é parecer que vamos cair e afinal tal não acontecer. Estivemos perto do chão e pelos vistos o AL conseguiu.
O nosso distinto repórter esqueceu o relato do episodio em que o AF, com a sua simpatia genuína, conseguiu irritar o automobilista só por lhe dar bons conselhos. Há automobilistas muito nervosos, ou de mal com a vida.
Nós bem sabemos porque não ficámos em casa.

Comentar post



Sobre nós

Neste blog um grupo de amigos irão falar das suas vivências tendo como fundo uns passeios de bicicleta. À conquista da natureza, ganhando saúde.

MEO Kanal


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D


Visitantes

Site Meter

Os meus visitantes