Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Trilhos Sem Fim nos carreiros do Alqueidão da Serra

por Trilhos Sem Fim, em 19.03.17

Volta Semi-Trilheira por caminhos e carreiros do Alqueidão

 

Há muito que não tínhamos uma tão elevada dose relativa de singles, carreiros e caminhos. Poucos foram os estradões e estrada foi só mesmo a estritamente necessária para chegar ao bem bom. 46 Quilómetros percorridos a partir do PR e um pouco mais para todos os que vieram de casa até ao PR de bicicleta. O acumulado rondou os 700m e a média superou um pouco os 13 kms.

Com uma média recente de doze participantes bem podemos dizer que sete companheiros faltaram e perderam uma fantástica manhã com piso seco, sem frio, sem calor e com uma humidade matinal bastante agradável. Desses sete somente um, o CC, tem a falta justificada.

Durante a semana a familiar dum excelso trilheiro inventou a figura do semi-trilheiro. Senti-me atingido: semi por faltas de comparência ou por irregularidade, semi por falta de força, semi por falta de jeito,etc. Nunca mais vou dizer a ninguém que sou bttista. Porque, de facto acho mesmo que assim sendo não sou. A partir de agora serei semi-trilheiro. Há mais mas hoje faltaram todos… o CC que se cuide!

Durante a manhã falou-se de algumas ausências e há uma particularmente preocupante com a chegada do verão porque na última reunião magna, foi eleito por unanimidade e aclamação o nosso Presidente Honorário, foram reconduzidos o Director e Editor Chefe, o Press Man e Tires Expertiser e ficou definitivamente decidido que o Caga-Lérias de serviço, sempre que compareça ao serviço, passa a ser esta praça. Mas não ficaram por aí as novidades porque, como bem nos recordamos, passámos a ter um aguadeiro/pingueiro na pessoa do RL e é aí que a porca, ou a leitoa, torce o rabo: Sem a presença deste companheiro, como tem vindo a suceder recentemente, o verão terá muito menos encanto e a secura e irritação das gargantas poderá tornar-se problemática para o nosso Departamento de Saúde.

Algures perto do Celeiro alguém perguntou se um amigo comum tinha ido de facto à Maratona de Sevilha. Logo alguém disse que sim senhor e de imediato o AF perguntou se foi pedalar. Ouviu como resposta que não, que tinha sido a correr e logo se ficou a saber que o referido amigo faz duatlo mas não triatlo porque não saberá nadar… Asseverou RP que é homem para ainda aprender e eu também acho que sim. De súbito disse o RG que compreende o problema dele porque também lhe falta o ar em ambiente aquático; o AL disse que era uma pena não estar equipado com guelras e de novo RP lamentou não ter mais aptidão ao meio aquático para poder fazer surf que é um sonho que lhe assiste. Em consequência ouvimos, alguns em primeira mão, a aventura do RG, algures numas férias noutros equinócios e azimutes em que depois de ter percebido que se mexia com algum à-vontade na piscina do hotel aceitou a ideia de fazer parte de um grupo que iria ter uma experiência de mergulho subaquático com botijas de oxigénio. A experiência ia correndo muito mal! Logo que mergulhou e se apercebeu que não havia nada que se comparasse com os tranquilizadores muros da piscina e de sólido só viu o casco do navio entrou em pânico e de tal maneira logo ali gastou quase metade do oxigénio disponível. Apoiado pelo instrutor de mergulho fez um ou dois patamares e chegou a pensar que já era mergulhador até que, qual canhão da Nazaré, a determinada altura deixou de ver os corais, os peixes e os crustáceos para se abeirar de um precipício submarino de fazer calafrios, se fosse em terra firme. Como quando o cérebro desliga não há nada a fazer, o RG voltou a desligar e quando tentou insuflar o colete já não havia forma de o fazer que o oxigénio era escasso. Emergiu e no caminho interminável da subida esperava alcançar o navio logo que chegasse à superfície. Não foi esse o caso… e de novo começou a patinar, disse. De novo o instrutor teve que vir em seu socorro, acalmá-lo e fazer sinais para bordo para que os recolhessem. Caricato é que não lhe ocorreu, quando chegou à superfície, que a sua dificuldade maior para se manter à tona eram os pesos de mergulho que poderia e deveria ter aliviado. Estava tão bloqueado que só quando chegou à embarcação se lembrou. Quando o questionaram porque tinha tido tantos problemas é que informou a plateia que não sabia nadar… aventureiro é assim. Primeiro vai e depois logo se vê!

Tudo isto porque alguém lembrou que inúmeros animais nadam de forma natural e o ser humano não só não o faz porque tem consciência do risco e “panica”! Exemplo disso são as experiências que permitem que recém-nascidos nadem perfeitamente e esta do nosso amigo RG que, mesmo não sabendo nadar, podia ter mergulhado nas calmas porque tinha todo o equipamento e para mergulhar não é necessário saber fazer o controlo respiratório essencial para poder dizer-se que se sabe nadar.

E é assim que se passam manhãs e se papam quilómetros e montanhas sem se dar por isso.

Para terminar lembrar que passou a haver um estabelecimento hoteleiro, algures na serra, onde não voltaremos a entrar para evitar males maiores. Não dispõem do sistema obrigatório para lavagem e desinfecção da loiça para além de se esquecerem de emitir a correspondente factura.  E o FêCêPê não aproveitou… Boa!

Quinta haverá nocturna e no domingo nova diurna… só não sabemos que estórias irão ser contadas nem se o HB irá voltar para se preparar para os dez dias de França a Santiago…

 Alípio Lopes

20170319 Alqueidão

Também em meo Kanal 490904

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:34


8 comentários

Sem imagem de perfil

De Cláudio Costa a 20.03.2017 às 10:20

Excelente crónica Alípio, assim como a reportagem, confirma-se que mereces o cargo atribuído.
Por cá, pela terra das vacas felizes a bike continua embalada no saco, pois o fim de semana foi de trabalho, mas amanhã talvez ela ja vá procurar umas vacas!


Continuem a divertirem-se, e a postar no blog, para eu ir acompanhando.

Comentar post



Sobre nós

Neste blog um grupo de amigos irão falar das suas vivências tendo como fundo uns passeios de bicicleta. À conquista da natureza, ganhando saúde.

MEO Kanal



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D


Visitantes

Site Meter

Os meus visitantes