Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Trilhos Sem Fim - revisita da Pia do Urso

por Trilhos Sem Fim, em 02.05.21

E finalmente a rentrée! 

A manhã ainda fria mas prometedora de Sol acolheu 11 Trilheiros devidamente vestidos. 

Embora o tempo seja de desconfinamento, a desconfiança e os cuidados ainda são muitos e as regras de distanciamento ainda estão bem presentes em todos os membros.Por vários motivos e o respeito pelo próximo, havia elementos que não se viam desde 2020.

As saudades eram muitas e o otimismo de que iria ser uma excelente manhã reinava.Destino definido: Pia do Urso. O melhor local para retomar a atividade em conjunto!Seguimos então em direção às Fontes, subindo até à Senhora do Monte, palmilhando daqui até às antenas, por um trilho que outrora foi espetacular mas que porventura terá sido a última oportunidade de o fazer antes da sua pavimentação em tout venant.

Já lá no alto fizemos uma pequena paragem técnica para ingestão de um "lava-correntes" que o AJ havia trazido e que ordeira e seguramente degustamos.Seguimos até à Pia do Urso, onde agora há menu ciclista (Café + Pastel de Nata) por 1,50€. Uma excelente ideia porque facilita os pagamentos e os trocos, evitando confusões e simplificando o processo. Situação que mesmo assim não sensibilizou alguns membros do grupo, que optaram por adulterar o conteúdo do menu, aproveitando para repor os eletrólitos já consumidos.

Refeitos e já com uma dose interessante de Vitamina D (a esplanada estava fantástica) começámos a traçar o que seriam os trilhos que nos fariam regressar prazerosamente a Leiria.

Assim, depois de deixar o CC em casa, acedemos a alguma insistência do HM e fomos descer o Galinheiro, onde pudemos observar a qualidade do dropper do RP que já vem com o sonoro "destrava" que pelos vistos é comum nesta peça.

Depois de mais alguns trilhos na Curvachia e depois de termos ajudado um E-Betetista a desencravar a corrente, rumámos até ao Casal dos Matos para aferir o estado de conservação do Trilho do Rogério.

Foi uma manhã muito agradável, recheada de bons trilhos e a camaradagem e amizade habitual.

Por fim, deixar um beijinho a todas as mães, principalmente às nossas, porque se não fossem elas não andávamos cá para pedalar ao Domingo.


Nuno Gonçalo Santos

publicado às 22:21

Leiria 360º v2

por Trilhos Sem Fim, em 12.01.21

Dizem que este é o 845º Post, deste magnífico e melhor Blog, de BTTistas, de um grupo maduro da Região de Leiria.

Maduro não pela idade dos participantes habituais, mas pelo tempo (anos) de existência…

Muitas aventuras, muitas voltas (domingueiras e noites de quinta-feira) e travessias, tendo em comum a amizade... e em que se espera sempre pelo“último”… sempre que não nos esquecemos! ... 😊.

 

Não obstante o atual período que se vive, e das restrições impostas, seguindo as recomendações da DGS, repetimos a façanha neste domingo.

Estava frio, muito frio! A solução foi duplicar tudo o que era equipamento… 2 pares de meias, 2 pares de luvas. Depois experimentar inovações como “flaps”, equipamentos GORE TEX XPTO… Mas o frio só se fez sentir nos primeiros minutos…

 

Apesar da ideia não agradar a todos, prevaleceu na maioria o bom senso, tendo em conta a indicação de não sair do concelho, optamos por refazer um percurso, feito uma única vez, no dia 10.01.2016 – “Leiria 360º”. Como se apreende consiste em circunscrever Leiria, numa volta com uma extensão de aprox. 50km – passando pelas freguesias circindantes à cidade.

Fazia precisamente, este domingo 10.01.2021, 5 anos!

O nosso “FlapMan” adormeceu, pelo que a opção foi começar a pedalar ao encontro deste companheiro, para não atrasar a hora de saída.

Na entrada da Curvachia deu-se o encontro, e também aqui a alteração do percurso. Como as sugestões de mudança foram sendo feitas pelo nosso RG, mentor do percurso à 5 anos, fomos aceitando o novo traçado, que passava agora por trilhos que naquela altura ainda não existiam. Tendo consciência do período que passou entre as 2 voltas vamos percebendo as diferenças, como muitos estradões passaram a ser estradas, singles foram alargados… mas também a surpresa de refazer caminhos que não eram feitos por nós à muito!

A configuração final da volta ficou interessante, a distância maior e altimetria menor relativamente à referência original.

 Alguns telefonemas recebidos, originaram atrasos e separação dos pedalantes, o que atrasou um pouco a volta. No aproximar da hora de almoço, pelos compromissos de cada um, em 2 fases diferentes o pequeno grupo reduziu mais.

Mas tínhamos que cumprir os 360º prometidos, e assim os resistentes na versão 2 desta ideia, cumprimos o estipulado!

 

Desta feita, sem os electrolitos,

que antes faziam parte integrante do remate da volta,

partimos, cada um para os seus lares,

com um sorriso no rosto, e vontade de voltar!

Boa semana a todos… e o resto veremos e faremos,

Com base nas regras que o nosso governo ditar. 

 

D'Armindo

 

Leiria 360º v2

 

publicado às 11:19

O primeiro domingo de 2021, tinha de começar como mais gostamos, com uma bela manhã de BTT, sem chuva e com frio que chegue, para alguns…

É novo ano, e depois das estatísticas de 2020 já publicadas nas redes sociais, depois de todos nós já termos estabelecidos metas e objectivos mais ambiciosos para 2021 – mesmo que saibamos à partida que jamais os concretizaremos – e nos termos deliciado com os repastos e doces das festividades típicas desta época, algumas bicicletas têm agora que suportar mais alguns quilos.  Há que os queimar e é também para repor o equilibro físico que nos levantamos cedinho para pedalar, e o tal frio, que hoje rondou os 0ºC, que gela as mãos e os pés, mas só de alguns! não demove este grupo de amigos.

Arrancámos em direcção à Sra do Monte, mas sem o destino final ainda decidido, a ideia de ir em direcção às varandas da Sra do Monte e daí apreciar a bela paisagem que esta manhã limpa nos proporcionou foi de imediato bem acolhida pelo grupo. A caminho das nascentes do nosso rio e enquanto o ladeávamos viam-se uns a pedalar com uma mão atrás das costas e outros com as mãos nos sovacos, não percebi porquê, mas segundo ouvi dizer o fresquinho da manhã atravessava as luvas e gelava a ponta dos dedos, só de alguns… subimos até ao topo da nossa serra, e já lá em cima percorremos aqueles carreiritos empedrados e tirámos as fotos da praxe. Decidiu-se ir beber o café para os lados de São Mamede, mas durante o caminho reorientámos o azimute para a Pia do Urso, excelente ideia para começar o ano BTTista. Durante o percurso e já na Pia, alguns BTTistas com que nos cruzámos apreciavam com admiração e ar de inveja, os acessórios carinhosamente apelidados de “flaps”, os tais que me me mantiveram os dedinhos quentinhos durante toda a manhã. O regresso imponha-se rápido, pois às 13h teríamos o recolher obrigatório, salpicámo-nos que nem uns garotos por aquele Vale Maninho abaixo e depois já com o grupo dividido, uns optaram pelo regresso por alcatrão e os restantes descemos a Curvachia num ritmo bastante interessante que nos meteu um sorriso de orelha a orelha.

E assim começou mais um ano, que esperamos seja de bom e saudável BTT, e que todos esperamos nos permita voltar aos bons convívios e com todos os elementos do nosso belo grupo de amigos, que estejamos no princípio do fim desta pandemia e que acabem estas restrições castradoras do salutar convívio.

Quanto aos “flaps”, gostei da experiência e recomendo para as manhãs mais gélidas, a bicicleta pode não ficar tão “elegante” mas o importante é desfrutar do BTT com o máximo conforto!

Cláudio Costa

Varandas da Serra e Pia do Urso com flaps do CC By Trilhos Sem Fim

Tags:

publicado às 19:38

O ultimo domingo de 2020, amanheceu muito frio, os campos todos brancos, mas o sol brilhava, como que a desafiar para um passeio matinal. E foi isso mesmo que os aventureiros e entusiastas do pedal dos TSF fizeram. Após algumas opiniões sobre que trilhos percorrer, havia um consenso, subir á serra e desfrutar da emoção e adrenalina das descidas, das quais o nosso “ salta-pocinhas “ não dispensa e o estreante Paulo, já se começa a aventurar.

Iniciou-se a escalada aos “ Moinhos “, para uns, moinhos de vento, para outros, moinhos de ar. Há!!, afinal descobrimos que o sitio era o mesmo :-). Seguimos montanha abaixo, para de seguida, subir para o castelo de Porto de Mós. A vista era excelente sobre a Vila, mas melhorou ainda mais, quando o Rui Passadouro, tirou dois coelhos da cartola, um bolo rei e uma garrafa em forma de cavalo, a lembrar a marca Ferrari, uma pomada, que pela expressão do rosto de alguns, era melhor que experimentar a aceleração da marca do cavalo…

Descemos pela estrada que ladeava as muralhas do castelo do D. Fuas Roupinho, excepto o “ salta-pocinhas “, utilizando um trilho mais radical, a desafiar as leis da gravidade, um susto para quem viu!

O Carlos Máximo, com a cobertura fotográfica, muitas das quais ficaram por tirar, pois a logística de descobrir a máquina no meio de todo aquele emaranhado de roupa, sobrou para os atrasados, que acabaram por ficar na fotografia. Lá diz o ditado, que, “ quem ri por ultimo, ri melhor “.

Mas o Carlos Máximo está desculpado, pelos  sprints que teve que fazer a correr á frente da máquina, para conseguir ficar na foto, e, pelo extremo cuidado de não deixar ficar nenhum incauto para trás…

Apesar de um ano atípico, restrições, constrangimentos, medos, limitações, esta mole de amigos mostrou, que não há melhor forma de superar obstáculos, do que uma boa amizade, cimentada a pedalar.

Neste passeio, duas coisas ficaram comprovadas como absolutamente dispensáveis. O Rui Gaspar comprar uma bike eléctrica, e quem mandou reparar umas brechas nas muralhas do castelo, querer ter mais protagonismo e notoriedade do que quem o construiu.

Termino, com o meu sincero muito obrigado, por ter sido aceite no seio deste ilustre grupo de amigos, pelo incentivo que me dão, quando fico para trás ( falta de pedalada ), ou quando por aselhice, deixo de pedalar para nadar.

Como dizia Augusto Cury; « Tudo o que tem um preço é barato. Só aquilo que o dinheiro não compra é realmente caro, e quem não o adquirir será sempre um miserável, ainda que seja um milionário ».

Abraço e um excelente 2021

Emanuel São Bento

Conquista do Castelo de Porto de Mós em dez 2020

publicado às 19:53

Passeio pela planície By Trilhos Sem Fim

por Trilhos Sem Fim, em 20.12.20

Pelas 8:30h, tínhamos Quórum para a volta de hoje!

Em pequeno número, como mandam as regras, a opção assumida foi fazer novos trilhos.

Desconhecido dos TSF, o percurso de hoje, rumamos para outro bordo do quintal dos TSF!

Fizemos Polis, no sentido Oeste, e alguma extensão dos campos do Liz, até entrar nos estradões ascendentes, que dos Barreiros nos levaram à zona Industrial da Barosa.

Daí para a frente, fomos alternando entre estradões, zonas de pinhal, pequenos troços de estrada. Muitos cantos e recantos, e surpreendentemente... animais de pasto.

Numa manhã de sol, havia poças em número suficiente para deleite do nosso “salta pocinhas”.

O ritmo foi elevado, e cedo chegamos a Amieira, onde tomamos o nosso café e pastel de nata matinal. Todos atestaram a qualidade dos dois!

Com mais algumas pedaladas, o grupo marcou passagem nos trilhos que nos levaram ao Parque de Merendas de Amor. Aqui fizemos o single do percurso dos “Moinhos do Rei”, dirigindo para a Barosa. Seguimos aqui também novos trilhos que, fugindo ao alcatrão, nos levaram ao Parque de Merendas da Barosa.

Daqui rumamos em subida por trilho, não usual e paralelo a um já feito, passando próximo da casa do trilheiro Cardinhos. Ainda questionamos se ele teria um frigorífico atestado como um bem conhecido do grupo, no Arrabal…

Após foi altura de divertir na descida de Santa Clara, rumo ao nosso Polis com uma subidinha à Senhora da Encarnação, guiada pelo amigo Máximo (alvo de Especiais Elogios :D ).

Cedo em Leiria, com 50 Km e 500 D+, foi cumprido trajeto diferente… o que não pesou pois pairava a vontade no ar, de voltar a ter uma manhã esta semana, com destino já proposto, para pedalar!

Será uma semana mais curta... rematada com votos de Boas festas a todos os trilheiros, num contexto diferente do habitual, mas que podendo ser vivido próximo (de uma forma ou outra, quanto mais não seja em pensamento) das famílias de cada um, não perde o valor da essência.

Bom Natal!

D'Armindo

Passeio pela planície By Trilhos Sem Fim

publicado às 22:44


Sobre nós

Neste blog um grupo de amigos irão falar das suas vivências tendo como fundo uns passeios de bicicleta. À conquista da natureza, ganhando saúde.


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D


Visitantes = 160.000 +...



Últimas voltas

Activities for Trilhos Sem Fim (Cláudio)

Países Ciclados

Create your own visited countries map or check out the JavaScript Charts.