Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Trilhos Sem Fim - preparar o Natal, festejando

por Trilhos Sem Fim, em 22.12.13

Dezasseis eramos os trilheiros que se concentraram à hora aprazada no Parque Radical. Antes da saída houve lugar à apresentação e demonstração da bicicleta desdobrável do David que, ao arrumá-la, por infelicidade deixou cair a pedaleira de plástico rígido no chão que, logo ali, ficou irremediavelmente partida. Parecia que assim era “decretada” a sina deste dia capicua do mês doze do ano treze. Não é por nada, mas, pelo sim pelo não, há muita gente que não gosta destas coisas de trezes. De facto, não podemos considerar que tenha sido ano de grande sorte e muitos de nós estão desertos para o verem pelas costas e longe!

Rumámos em direcção à Barreira e deambulámos trilhos abaixo, trilhos acima, pelas encostas escorregadias entre o Reguengo e as Fontes até percorrermos quarenta quilómetros e novecentos metros de acumulado.

Ainda dez quilómetros não haviam sido percorridos quando o Fernando, o nosso único repórter de serviço, teve que retirar por ter ficado com o cepo da transmissão completamente inoperacional. Abandonou o grupo em direcção a casa na companhia doutro companheiro dado que trilheiros ajuizados não se deslocam sozinhos mas em grupo. Passámos a ser catorze.

A meio da manhã o Leonel, que raramente usa mochila, exibiu o que levava às costas: um Bolo Rainha e uma garrafa de Favaios para comemorarmos num muro apropriado para o efeito o 37º aniversário da esposa, e nossa companheira, Paula Pita que, para além de ser a única mulher do grupo no activo é também um dos mais jovens elementos: pouco mais de metade da idade do menos jovem dos trilheiros!!!

Mas havia mais na nossa agenda matinal. O Paulo Chá-Chá, o nosso homem do single-speed, tirou o dia para limpar (melhor dizendo: começar a limpar!) um hectare de terreno na paradisíaca zona da Mata da Curvachia e ontem, via Face-book, tinha convidado o grupo a visitá-lo e degustar castanhas assadas e uma bela jeropiga. Cumprimos este saboroso compromisso e continuámos, subindo e descendo com pedras ressaltos e sobressaltos em direcção ao Parque Radical.

Mas, como até ao lavar dos cestos usamos dizer ser vindima e porque a sina do dia 13 ainda estava no ar, vieram ainda mais três percalços: primeiro foi o atravessamento de alguns dos caminhos no regresso que foram autenticamente lavrados e deixados cheios de rama cuidadosamente desarrumada pelos lenhadores que fizeram desbaste florestal recente e se estiveram, como é habitual, nas tintas para os outros (isto é uma pérola do património comportamental tuga…); de seguida numa daquelas vertiginosas descidas com muito vibroplate o Cláudio, que descia veloz atrás do Cardinhos, chegou a duvidar que o que via pudesse ser da qualidade ou da quantidade da jeropiga e não era porque de facto a roda traseira da bicicleta do Cardinhos bamboleava desgovernadamente devido ao estoiro de um dos componentes do quadro (a escora). De novo um companheiro a circular a pé em direcção à estrada mais próxima para aguardar por familiar que o veio recolher. E passámos a ser TREZE!!! (Veja-se o raio da coincidência. Será por isso que há quem diga que não acredita em bruxas mas lá que as há, há!) E ainda não tinha terminado por aqui a nossa saga pois o Rui Leitão chegou atrasado ao destino por ter tido problema grave no desviador.

Mas o aziago número treze não tem que significar somente probabilidade de azar mas pode também ser sinónimo de sorte. É esse o caso da chave do Totobola e foi também esse o nosso hoje, pois, para além dos muitos azares materiais, que não são de modo nenhum despiciendos, tivemos a sorte de não termos tido nenhum azar ao nível das quedas, se considerarmos que o espalhanço do Gonçalo Cordeiro no início do Trilho do Rio Seco não contou...

Finalmente, e porque esta crónica esteve para nem sequer ser escrita por determinação superior do nosso director que o sentenciou durante a primeira parte da manhã - devido à muito reduzida participação da maioria dos companheiros trilheiros no nosso blogue em torno dos textos, das fotos e dos filmes -, pode também ser, pelo menos temporariamente, a última se essa participação continuar a não ocorrer. Esperemos bem que não por diversas razões: porque se julga que este trabalho é muito importante para memória futura e particularmente porque ninguém gosta de trabalhar para o boneco (escrever, fotografar e filmar é trabalhar!). Eu não gosto! E ainda para mais quando alguns dizem que é fácil debitar (c****) lérias… E não é!

 Bom Natal para toda a família dos Trilhos Sem Fim e respectivas famílias (activos, inactivos, reactivos, interactivos e comatosos). E para os rabugentos também!

Está lançado o repto. Aguardam-se as reacções via MUITOS comentários…

Alipio Lopes

Tags:

publicado às 20:34


44 comentários

Sem imagem de perfil

De José Cardinhos a 23.12.2013 às 13:34

David Silva até agora ninguém te respondeu, é sinal que estão de acordo, claro que és bem vindo, quanto ao equipamento não há, mas estão na forja, vais ter que esperar.
Feliz Natal.

Comentar post



Sobre nós

Neste blog um grupo de amigos irão falar das suas vivências tendo como fundo uns passeios de bicicleta. À conquista da natureza, ganhando saúde.


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D


Visitantes = 160.000 +...



Últimas voltas

Activities for Trilhos Sem Fim (Cláudio)

Países Ciclados

Create your own visited countries map or check out the JavaScript Charts.