Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Passagem pela Barreira e Mourã em 9 OUT 2008

por Trilhos Sem Fim, em 09.11.08

Nesta manhã solarenga de Outono partimos do Parque Radical de São Romão já o Sol ia bem alto. Estranhamente, pareceu-me que o grupo Trilhos Sem Fim se arrastava pelas colinas, evidenciando ainda alguma nostalgia relacionada com a qualidade do passeio do Domingo passado na Bidoeira de Cima.

Alguns metros percorridos e muitos ainda se queixavam das mialgias e da dificuldade em manter um ritmo adequado às exigências dos trilhos a que estamos habituados.
Apesar dos lamentos, cumprimos o objectivo proposto à partida. Subimos até à Barreira, chegámos à Mourã e descemos até à Golpilheira. No final ainda sobrou força e ânimo para descer da Barreira até às Cortes e matar saudades da Curvachia, com uma passagem rápida pelo trilho que descendo, nos levou do Soutocico até ao Vidigal. Um belo trajecto!
Deste passeio saliento a beleza do percurso e sobretudo, a capacidade demonstrada pelo grupo em conseguir atrair novos elementos. Hoje tivemos quatro novos amigos dos nossos amigos, como tal passaram a ser nossos amigos, também. Ficámos mais completos!
Tenham uma óptima semana, que Domingo haverá mais …
Rui

publicado às 16:22

Proposta para 9 de Novembro de 2008: Domingo

por Trilhos Sem Fim, em 07.11.08

Depois do último "passeio" não vai ser fácil descobrir um trajecto que agrade. No entanto não podemos desistir. Fica a promessa de que num futuro próximo revisitaremos a Bidoeira.

Para o próximo domingo tenho duas propostas: 1 - passeio pela cidade de Leiria; 2 - visita à Mourã. Na hora da partida decidiremos a mais adequada ao clima e à condição física dos atletas.
Saída às 9H30M (há quem trabalhe de noite a saia às 9) do Parque Radical de São Romão, junto à DGV .
Rui
 

publicado às 06:33

Raid BTT em Bidoeira de Cima em 2 de Novembro 2008

por Trilhos Sem Fim, em 02.11.08

Este ano, as festas da Bidoeira começaram mais cedo. Iniciaram-se com uma inesquecível prova de BTT!

A adesão a este evento superou em muito todas as expectativas. Foi superior a quatro centenas o número de inscritos. O percurso foi muito bem escolhido e nunca poderia ter sido melhor, pela simples razão que foi óptimo e por porque o local limitava, como é óbvio, os locais disponíveis. Não havendo montanhas, conseguiram dar-nos o prazer de "escalar"  imensas subidas e descer vertiginosamente pelas esperadas descidas.  

À hora marcada saímos do largo do Centro Cultural e logo nos embrenhámos no vasto bosque de pinhal. Os mais velozes já iam bem na frente quando passámos o riacho das Almoinhas. Esta passagem trouxe à minha memória os tempos da infância quando por aí passava na azáfama dos trabalhos agrícolas.

Após uma descida vertiginosa chegámos ao lugar da Mata da Bidoeira. Depois de um pequeno percurso de estrada entrámos novamente na floresta e foi muito agradável passar por um trilho estreito que nos conduziu ao pequeno riacho. Chegámos ao local onde antigamente existiu o Calhau, um pequeno lugar cujo principal modus vivendi era a moagem de grão. Hoje restam meia dúzia de paredes em ruína.

As recordações de infância não cessavam de me afluir à mente. Depois de uma subida por terra chegámos à Pêga, um dos locais onde viviam alguns dos meus companheiros de carteira na velha Escola Primária.  Que saudade!

Deixemo-nos de melancolia porque os mais velozes já não se avistam há muito.

Passámos o Monte Agudo e mais uma vez os carreiros serpenteavam por entre a vegetação. Chegámos ao gasoduto onde fomos testados na verdadeira técnica de dominar a bike nas descidas de declive acentuado. O pior estava para acontecer!  Quem tinha pernas subia a elevação,  quem não tinha, subia à mão.

O percurso era bom, as descidas muito boas e as subidas óptimas. As pernas é que eram fracas. Não as minhas!

Após o merecido lanche veio a melhor parte do percurso. Fica na minha memória aquela passagem no carreirinho junto ao riacho, perto da Texugueira. Uma maravilha!

Subimos em direcção à Bidoeira de Baixo e demos connosco à saída da missa. Mais uma das imagens de infância, em que me recordo que após a missa, os bidoeirenses aproveitavam para uma pequena conversa com os vizinhos, sobre os temas que preocupavam a população. Parece-me que ainda se mantém esse hábito.

Finalmente,  e para os que ainda tinham força surgiu mais um troço do gasoduto. Valeu a pena percorrê-lo. Mais descidas e subidas por entre uma vegetação densa.

Não posso deixar de referir aqueles reforços positivos inscritos nas placas colocadas ao longo do percurso que extraíam do fundo do desânimo aquele alento que nos fez chegar ao fim. Um toque de bom gosto!

O grupo Trilhos Sem Fim participou em massa. Para eles e em nome da organização fica o agradecimento. Valeu a pena e há quem no Trilhos Sem Fim tenha sugerido voltar a fazer o percurso.  

Parabéns à organização.

Rui

publicado às 22:46

Pág. 2/2



Sobre nós

Neste blog um grupo de amigos irão falar das suas vivências tendo como fundo uns passeios de bicicleta. À conquista da natureza, ganhando saúde.

MEO Kanal


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D


Visitantes = 160.000 +...