Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Assalto ao Caramulo 2012

por Trilhos Sem Fim, em 04.12.12

Eram 5:45h e já se encontravam 3 trilheiros, no centro de Leiria, junto da casa do trilheiro que daria boleia aos restantes até Vila Nova de Monsarros. 2ºC marcava o termómetro.

Feito um compasso de espera era hora de fazer uso do telemóvel – que nos permitiu percecionar que um problema técnico com o despertador do nosso trilheiro condutor era a razão do atraso.
Montamos a LP, Scott e SCruz sobre o carro e claro está a Trek foi na mala, no interior, para não se constipar…
Passava da 7h e seguimos via A1, e algumas das nossas Bikes nunca tinham rodado tão rápido.
Uma hora depois estávamos junto ao pavilhão desportivo, em Vila Nova de Monsarros onde já se encontravam inúmeros bttistas, inúmeros mas excetuo os 2 TSF com que estava combinado o encontro naquele local. Tinha ocorrido novo problema técnico com outro despertador. Iriam ter connosco mais tarde.
Depois das 8h, já devidamente equipados, bem vestidos começamos a pedalar, sentindo o “fresquinho” que nos acompanhou todo o tempo, pois a temperatura rondou entre 1 e 6ºC.
Subimos, subimos, inicialmente e maioritariamente em caminhos de mata, idênticos aos que fazemos aqui na zona, e fomos alternando com algumas estradas. O nosso aguadeiro foi-nos presenteando com um líquido retemperador de elevada qualidade e agora em involucro de grande gabarito.
Tínhamos 34Km até atingir o ponto mais alto, em plano geralmente inclinado. A 10Km desse ponto de viragem a vegetação alta deixou de existir e a paisagem mudou, estávamos suficientemente alto para poder apreciar os vales abaixo, íamos serpenteando as colinas e surpreendendo-nos com a beleza da serra. Foi a partir dessa altura que em esforço algumas caibras foram fazendo companhia a DA e atrasando a incursão, e foi também após as 11horas que fomos surpreendidos pelo casal TSF, que atletas! Estavam reunido os 6 “assaltantes” do grupo.
Seguramente se a pedra não fosse granito teriam ocorrido quedas, as pedras da nossa região são mais perigosas.
As casas rurais e os bovinos faziam parte do cenário. De mau a registar o ultimo troço não ciclável de lama e pedra até ao Caramulinho – percebemos nessa altura o porquê da maioria dos ciclistas ter feito um desvio antes daquele troço.
Pelas 13,45h estávamos no topo. Fomos pelo caminho encontrando pontos de paragem com sopas, sandes, cerveja, etc.. em que se deixava uma contribuição. No topo havia um desses espaços, patrocinados pelas marcas e com porco no espeto – muita animação e muito movimento.
A promessa era do regresso ser feito em descida. Juntamo-nos a conhecidos do casal TSF, mas a verdade é que para descer também tivemos de subir alguns troços. Após alguns quilómetros de descida um problema técnico com uma corrente partida obrigou a uma paragem mais alongada, seguida de outra para abastecer com um caldo verde, bifana no pão quentinha e cerveja fresquinha… tão bem que soube!
Retemperadas as forças, o que penou na subida também em muito se dissipou com descidas fantásticas, single trek, troços de estrada muito rolantes, zonas de rio e albufeira, etc..
Passava das 15h e estávamos junto aos carros, no ponto de partida. Despedimo-nos do casal TSF e arrumadas as bikes, íamos ao duche… após o frio do dia, apanhamos ainda banhoca de água fria… Bbrrrrr!


Há mais fotos e vídeos do evento no fbk, fórum btt e blog.A partirde determinado ponto deixamos de fazer registo de imagens. As condições não eram favoráveis.


Foi bom, sim! A repetir talvez! No imediato não. ? (falo por mim claro está…)


Boa semana!


D’Armindo



Podem consultar mais fotos clicando aqui e neste facebook

publicado às 21:14

Às 8:30, hora oficial, seja verão ou inverno, e mesmo com 0º os TSF reuném-se para BTTetar e passar uma boa manhã de Domingo. Foi o que fizeram 14 trilheiros hoje.
Notou-se que foi dos primeiros dias de frio desta época, pois alguns ainda não levaram a indumentária correcta para o tempo frio, uns diziam que tinham as orelhas frias, outros esqueceram-se das luvas, outros ainda com luvas sem dedos... mas nada que demovesse os madrugadores do objectivo de andar de bicicleta.


Como no vale, nas margens do Lis estava frio, depressa se decidiu ir para a serra, tentar aquecer e talvez visitar o Castelo de Porto de Mós. Seguimos em direcção ao Alqueidão da Serra, já com a ideia de fazer pelo menos duas ou três descidas, a primeira aquela dos ganchos à direita e à esquerda, a outra bastante longa, que estreámos numa nocturna e última que nos leva da estrada de alcatrão até ao parque de estacionamento onde por algumas vezes no passado, deixámos as viaturas.


A visita ao castelo, aquele que teve por alcaide-mor o Dom Fuas Roupinho, por nomeação de D. Afonso Henriques, não se chegou a concretizar, até porque como diz o RG o guarda do Castelo, de verão, até gosta de nos ver lá, mas de inverno, sujamos-lhe o castelo todo!


Ora como saímos cedo, e andamos depressa, ao regressarmos do Alqueidão, deparámos com o problema do costume, tão cedo ainda, com 35Km, temos de ir andar mais... lá subimos novamente e fomos ter àquele trilho a descer junto do poste de alta-tensão, que hoje proporcionou uma belas descidas com a roda de lado. Por esta altura já só éramos 13, o RL por compromissos gastronómicos teve de abandonar, certamente teria gostado de matar saudades do cão que o espera no final daquela descida.


O destino seguinte foi as Fontes, porque mais uma vez, ainda éra cedo para acabar a manhã. Com menos um elemento, o LC, a dúzia de trilheiros tiveram a oportunidade de ver as exsurgências do Liz, que por esta altura, graças às chuvas dos últimos dias, já apresentava um caudal digno de nascente de rio.


Feitas as contas, já podíamos regressar a Leiria, pois já chegaríamos a horas decentes e com cerca de 50 km feitos. O frio, esse, ainda fazia que chegue, mas julgo que nenhum de nós se queixava dele! Pessoalmente, já tinha saudades de passar com a roda pelas ervas geladas e de ver de perto a beleza do mato coberto de geada, pormenores que compensam o sacrificio de sair do cantinho do lar.


Durante o passeio, ainda nos cruzámos com um casal de TSF's que têm "andado a correr por outra equipa", e já no parque radical, para quem ficou na conversa até mais tarde, ainda tivemos o prazer de ver o nosso adoentado ElGPS, a regressar de uma volta de "recomeço", esperemos que se ponha em forma, para nos acompanhar como dantes.


Boa semana.


Cláudio Costa

 

Também em meo Kanal 490904 

Tags:

publicado às 21:30

Pág. 2/2



Sobre nós

Neste blog um grupo de amigos irão falar das suas vivências tendo como fundo uns passeios de bicicleta. À conquista da natureza, ganhando saúde.

MEO Kanal


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D


Visitantes = 160.000 +...