Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]




O dia em que o salta-pocinhas tomou banho

por Trilhos Sem Fim, em 31.10.21

O texto procura criador...

TSF 2021/10/31

publicado às 21:33

Pia do Urso com 60k

por Trilhos Sem Fim, em 26.10.21

Texto em fase de inspiração...

 

TSF 2021/10/24

publicado às 09:07

É regra deste blog que não haja domingo pedalado sem crónica lavrada, por isso mesmo aqui fica, apesar de já com alguns dias de atraso, o registo do passado domingo, aliás, o registo do passado fim de semana, porque os Trilhos sem Fim pedalaram no Sábado e no Domingo. Comecemos pelo Sábado, dia de passeio nocturno da Torre, passeio com excelente qualidade quer de trilhos, quer de organização, quer de reforço no final. Estiveram presentes a desfrutar os trilhos da serra o RG, RL, HM, CC, AJac, CM, JCar, Graz, RafS e LGr, numa noite seca e bem agradável, só choveu antes e depois do passeio, e já passava das 0 horas de domingo quando demos por terminada a nossa participação nesse evento. Mesmo assim, e depois de uma noite chuvosa a antever uma manhã de domingo molhada – mas que se revelou bem seca, comprovando que o São Pedro é BTTista, pois só choveu de noite – dois destes trilheiros, CC e o CGraz, comparecemos no PR à hora habitual, juntando-se a nós o DA, o já quase recuperado RM e o PC, a nós os cinco juntaram-se já quando íamos a sair do PR o Manaia e o Adriano. Depois de algumas ideias sobre a volta de hoje, já tínhamos as bikes orientadas para a rota das Carpalhosas, não lembrando a nenhum dos presentes que esta volta era para estrear com o grupo maior, mas  que fique anotado que apenas fomos para preparar o terreno e apanhar os pregos do chão, para que tudo corra na perfeição quando for a volta oficial dos TSF’s à Ribeira das Carpalhosas que será num qualquer próximo fim de semana com os Ruis todos presentes 😊.

O percurso de Leiria até à Bidoeira fez-se por alguns caminhos diferentes dos habituais, ali na Boa Vista ainda nos cruzamos com o Hugo que participava numa corrida, e pouco depois, numa descida rápida num pinhal assustámos um condutor de um automóvel que ao ver-nos “galgou” com o seu carro para a barreira para evitar acidentes, tal foi o susto... dele!

Os prazerosos quilómetros de trilhos da ribeira das Carpalhosas apesar de molhados da chuva da noite, fizeram-se muito bem e a bom ritmo. Cruzámos-nos com companheiros de outros tempos, tirámos a foto no melhor spot deste percurso, e depois dos Zig-Zags constantes desses trilhos, demos por nós na Carreira e havia que regressar a Leiria, o que fizemos passando por Amor orientados pelo DA. A volta já ia longa e chegámos a Leiria já depois das 13h, onde ao contrário do habitual, não parámos na CA pois 3 de nós, CC, RM e PC ainda foram a pedalar até ao Arrabal onde nos esperavam umas brasas para acender para almoçarmos por conta do aniversário do PC e também do RM.

Cláudio Costa

Torre e Carpalhosas

publicado às 00:02

Rota do odores e dos bons sabores By Trilhos Sem Fim

por Trilhos Sem Fim, em 10.10.21
Volta da Ribeira das Carpalhosas Abortada por excesso de Furos
Mantendo o ritual das manhãs de domingo, encontram-se no local habitual no Parque Radical  15 verdadeiros aficcionados de pedaladas, sempre que possivel por maus caminhos. 
Estava planeado ir fazer uma volta pelos novos trilhos das Ribeira da Carpalhosas , percorrendo parte da rota dos odores  até Bidoeira de Cima e aí pegar a dita rota . Mas  quis a má sorte  que  um furo num sapo se tornasse um caso de estudo. Pois foram necessárias 3 camaras de ar e 3 litros de CO2 para conseguir colocar a e-bike em condições de andar. Este precalço consumiu o tempo que estava destinado a volta, obrigando a abortar o plano inicial.
Mas TSF com experiência tem sempre uma alternativa. Assim após um belo café acompanhado com o bolo que estava reservado para o aniversário de uma senhora de quase 100 anos , cortesia do companheiro RP, médico no Solar do Castanheiro, decidimos continuar na rota dos odores e assim  conseguir chegar a Leiria pelas 12,30h, com tempo para reposição de eletrólitos no café Las Vegas , onde reencontramos alguns TSFs que tem andado tresmalhados por causa da pandemia.
Aproveito para lembrar os companheiros TSFs que este sábado vai haver uma noturna organizada pelos amigos CHOUBIKES da Torre onde devemos comparecer . 
A volta da Ribeira das Carpalhosas será novamente agendada. 
Rui Gaspar
Rota do odores e dos bons sabores By Trilhos Sem Fim

publicado às 17:13

Inicio da época da poças By Trilhos Sem Fim

por Trilhos Sem Fim, em 03.10.21

Uma dúzia de Trilheiros reuniu-se por volta das 8h30 da matina no sítio do costume, desta vez para celebrar (pelo menos um celebrou) a tão aguardada (pelo menos um aguardava ansiosamente) Época das Poças (é favor por maiúsculas no que maiúsculas merece).

Dizia um dos incautos que até tinha chegado mais cedo, impedindo assim o tal de ansioso pela abertura da Épocas das Poças, de, como é da praxe, retirar a Sparus Aurata - https://pt.wikipedia.org/wiki/Sparus_aurata - de cima do carro tal incauto Trilheiro.

A importância da ocasião e o espírito BTTista de São Pedro fizeram com que a chuva caísse impiedosamente antes das 8 horas e não mais voltasse durante a volta. Garantia-se assim que nenhum Trilheiro se molharia de cima para baixo, o que claro está, não impediria que se molhassem de baixo para cima (Oh Yeahhhh!!!!).

Curioso que talvez com receio de se molharem de baixo para cima, hoje os sapos eram apenas dois. Estranho!

Guiados pelo Sapo Amilcar, rumamos às Fontes, com direito a que o Máximo batesse uma chapas dos TSF a descer o Trilho do Poste (não sefi o nome, chamo-lhe assim. É aquele nas Fontes, quando acabamos de subir e viramos à direita) e daí pedalámos até à primeira poça que presenteou um ou mais TSF. Maravilha 

Sempre a pedalar em amena conversa, aproveitando poça aqui e poça ali para se fazer o que tinha de ser feito, lá chegamos ao Reguengo do Fétal onde, pela primeira vez desde o início da pandemia, entrámos sem máscara no café.

Aqui neste Grupo, meus caros, amigo não empata amigo, da mesma forma que Café e Pastel de Nata não empatam Cerveja e Queijo. Houve até quem acumulasse, não obstante outro(s) ainda, que - quais Cheffs de Culinária em modo Nouvelle Cuisine - se deleitaram degustando um combinado de banana queijo ou de queijo banana, consoante a perspetiva.

Claro está que com o Amilcar em modo sapo a comandar as tropas, não há volta sem rampinha nem rampinha que não seja seguida de outra rampinha maior ainda. Desta vez seguiu-se a rampinha da Andorinha. A propósito desta e apenas para relembar os traumatizados pela rampinha que gramaram, subir a Andorinha quer dizer acumular mais 260mts de desnível positivo assim de seguida. Cabrões dos Sapos!

Da Andorinha rumámos à Perulheira com umas descidas porreiras, umas Poças simpáticas, uns Trilheiros que reclamavam de se molharem em sentido inverso ao da gravidade (vá-se lá entender), umas pedras para saltar de forma divertida e um pneu trilhado.

Isso mesmo: um pneu trilhado, e logo pelo tipo que, coitado, de forma tão civilizada e cumpridora se limitava a fazer o que a sua bike mandava fazer. Mas que culpa tem o pobre coitado da sua bike lhe dar instruções - por escrito, entenda-se - a dizerem “Salta Pocinhas”?

Ora pois claro está que um tipo educado, se a bike o manda saltar pocinhas só tem mesmo é que saltar pocinhas. Mais nada. Só com muita má fé se poderia pensar coisa diferente!

Reparada a avaria no pneu à custa de dois tacos (não lambões, não eram tacos mexicanos) rumámos pelo estradão com que resolveram estragar aquilo que era um trilho bem divertido, apontando depois ao “Trilho da Palete” com direito a uma esfoladela do nosso especialista em orientação avançada, o tal do “mas isto vai dar à Tosel?”.

Curvachia dentro foi dar ao pedal descendo como se não houvesse amanhã até à estrada que nos guiou, desta vez não rumo ao Armando, mas rumo à Ucraniana que ainda deve estar a pensar como de um pires de tremoços resultaram 4 pires de cascas!!

Ele há cada uma com estes Trilhos Sem Fim.

PS: Propõe o redator que da próxima terça se faça um domingo. O que acham?

HMalheiro

 

Manhã de outono By Trilhos Sem Fim - 2OUT2021

Tags:

publicado às 17:55


Sobre nós

Neste blog um grupo de amigos irão falar das suas vivências tendo como fundo uns passeios de bicicleta. À conquista da natureza, ganhando saúde.


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D


Visitantes =



Últimas voltas

Activities for Trilhos Sem Fim (Cláudio)

Países Ciclados

Create your own visited countries map or check out the JavaScript Charts.