Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Texto: Claudio a produzir

 

Trilhos Sem Fim na Pia do Urso e descida na estrada "romana"

publicado às 18:56

Pelas 8.30h no PR, já o grupo TSF, que hoje foi de um total de 15 elementos, discutia o destino.

Havia quem propusesse Pombal, outros Ourém, outros Pia do Urso, uns para aqui e outros para acolá. Pusemo-nos a caminho, direção Alcanadas. Rumamos em direção às Cortes, subimos o caminho por detrás da casa do nosso companheiro GPS, seguimos em subida e em amena cavaqueira, até Alcanadas. Aqui surgiu a sugestão de fazer a estrada romana, que tem início junto ao parque de merendas e que integra o percurso pedestre (PR9) com 9 km de extensão e que pertence aos percursos da Serra de Aire e Candeeiros.

 

Muita pedra e trilhos com passagens mais técnicas, seguimos em subida longa até ao “Covão da Nicha”, subida com material bastante solto…como alguém comentava “…a subida tinha 2 ou 3 pedras a mais”. Ainda era cedo, e C. tinha anunciado que tinha um bolo para partilhar com os demais. Já havia fome e havia já quem ferrasse o dente na banana. Mas o bolo precisava da companhia do café, e o café esse não é a mesma coisa se não for tomado na Pia do Urso. Então não era tarde, nem cedo… pusemo-nos a caminho e chegamos à Pia uns minutos antes das 11h. Antes da chegada à Pia PS deixou-nos em direção a Mira de Aire, eramos agora 14.

 

Provado o bolo, café e aditivo… pusemo-nos a caminho, pelo “Trilho do Pisco”, bastante técnico e com direito a uma passagem ao limbo, por debaixo de um eucalipto caído, e já em cima da bike, ao saltitar de pedra em pedra.

 

Seguimos em grupo, sendo que JS seguia a frente e deixou cair o telemóvel que foi atropelado pelos demais. Lamentamos a tua perda, companheiro…

 

De resto, rumamos até ao Reguengo do Fetal a velocidade propiciada pelas descidas e desta vez sem carrinhas ou outros obstáculos que surgissem em sentido contrário. Foi no Reguengo que RL e RP nos deixaram, pois necessitavam estar pelas 12.30h em Leiria. Eramos agora 12.

 

Na Reixida em descida acelerada os estradões tendem a ficar mais estreitos, sobretudo quando estão recortados por valas provocadas pelas chuvas. Os companheiros RG e C. preconizaram uma queda encadeada, que apesar de ter sido aparatosa, esperamos que não tenha a frio, consequências maiores além dos hematomas, e dos danos materiais. Constatou-se que não tínhamos o nosso profissional de saúde por perto, pelo que os TSF presentes deram alta aos sinistrados.

 

Desta feita e com o atraso que levávamos, era hora de regressar a Leiria, onde chegamos pelas 13h, com 1078m de acumulado e cerca de 55 Km.

 

Balanço de perdas, 1 telemóvel, 2 capacetes, 1 par de óculos de visão e a maior de todas, rasgos no equipamento de inverno TSF.

 

Boa semana!

D’Armindo

 Também em meo Kanal 490904

publicado às 18:05


Sobre nós

Neste blog um grupo de amigos irão falar das suas vivências tendo como fundo uns passeios de bicicleta. À conquista da natureza, ganhando saúde.


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Visitantes =



Últimas voltas

Activities for Trilhos Sem Fim (Cláudio)

arquivo TSF no komoot


Coleção de Single Tracks que adoramos fazer


Países Ciclados

Create your own visited countries map or check out the JavaScript Charts.

Posts mais comentados


Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2013
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2012
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2011
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2010
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2009
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2008
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D